Ministro e prefeito entregam mais 365 moradias populares

O prefeito Pedro Wosgrau Filho e o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, entregaram na tarde desta sexta-feira mais 365 moradias populares construídas em parceria entre o governo federal e o município, envolvendo a Caixa Econômica Federal e a Companhia de Habitação de Ponta Grossa. O conjunto, chamado Boreal e situado na zona Norte da cidade, conta com moradias diferenciadas, inclusive com painéis para captação de energia solar para aquecimento de água, e algumas das casas são adaptadas para pessoas com deficiência. “Ponta Grossa tem o maior número de casas financiadas pelo programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ no Paraná, à exceção de Curitiba”, lembrou o presidente da Prolar, Herivelto Benjamin, que também destacou o fato de que a empresa foi criada pelo prefeito Pedro Wosgrau Filho ainda em seu primeiro mandato, há 22 anos.
Representantes da Caixa Econômica Federal, como o superintendente federal Fábio Carnelós, também prestigiaram a solenidade de entrega das chaves: “esse é o momento mais emocionante para nós, da Caixa: quando as pessoas conseguem realizar o sonho da casa própria”. Ele também mencionou que das casas previstas pelo governo federal, 1 milhão foram ou estão sendo construídas até o final deste ano e mais 2 milhões estão previstas para 2012. Ainda segundo CArnelós, a conquista das casas para Ponta Grossa, num volume tão expressivo, se deve também ao empenho “forte e destemido” do ministro Paulo Bernardo.
APOIO FEDERAL
O apoio do governo federal, em particular do ministro Paulo Bernardo e da ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffman, também foi a tônica do discurso do prefeito Pedro Wosgrau Filho. O chefe do Executivo disse que Paulo Bernardo tem dado “apoio total” aos pedidos de Ponta Grossa, e que espera conseguir, ainda para 2012, a contratação de mais duas mil unidades habitacionais para a cidade.
Wosgrau ainda listou diversas ações desenvolvidas pelo governo federal, com ou graças à intervenção dos ministros paranaenses – Paulo e Gleisi – no município, entre eles um investimento superior a R$ 170 milhões em moradia popular, através do programa Minha Casa, Minha Vida, e mais recursos para a construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Santa Paula, já em obras, para a futura UPA do Jardim Carvalho, para o Restaurante Popular, para a Praça do PAC, para a duplicação do Viaduto Santa Paula (“que contou com o apoio decisivo do ministro Paulo Bernardo”) e ainda para a trincheira do Distrito Industrial, que deve ser concluída em meados do próximo ano.
O prefeito também relatou que na semana passada foi assinado convênio com a Caixa Econômica para implantação do programa Microcrédito Crescer, que garante empréstimos de R$ 300 a R$ 15.000 para empreendedores individuais e microempresários, inclusive informais, sem contar os 22 Centros Municipais de Educação infantil que estão sendo construídos graças a parcerias da prefeitura com o governo federal. “Nenhuma cidade recebeu tanto quanto Ponta Grossa”, comparou Wosgrau, que terminou seu discurso com um novo pedido ao ministro das Comunicações: a inclusão de Ponta Grossa no plano de distribuição de recursos do programa Cidade Digital, que permitirá a implantação da internet grátis, em toda a cidade, para famílias de baixa renda.
MINISTRO
Paulo Bernardo, por sua vez, mencionou a importância do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ para atender à demanda da comunidade que necessita de moradias e também as exigências para a contratação de novos empreendimentos: “antes as pessoas compravam um pedaço de fazenda perto da cidade e ali construíam um conjunto. Não tinha ônibus, não tinha escola, não tinha nada. Agora não é assim. Os novos conjuntos têm que ter linha de ônibus, asfalto, energia elétrica, água, esgoto, tudo”. O esforço do governo para construir casas também tem função estratégica diante da crise de 2008, que abalou a economia mundial, segundo Paulo Bernardo. Os investimentos em construção civil, em todo o país, ajudaram a superar as mais de 1 milhão de demissões ocasionadas pela crise: “a solução foi a habitação popular”. Nesse caminho, foram destinadas no total 50.000 casas para o Paraná, das quais 4.000 só para Ponta Grossa, fazendo desta a cidade com maior número de empreendimentos do programa, além de Curitiba. “Quanto aos outros pedidos de Ponta Grossa, podem ter certeza que vamos ajudar”.
EVENTO
Participaram do evento, entre outras autoridades, além do prefeito e do ministro Paulo Bernardo, o superintendente nacional da Caixa, Fabio Carnelós; o superintendente estadual Jorge Kalache e o regional, Luiz Henrique Borgo; o deputado Péricles Mello; o presidente da Associação Comercial, Márcio Pauliki, os vereadores Alessandro Lozza de Moraes, Ana Maria de Holleben e George Luiz de Oliveira; secretários municipais e o empresário responsável pela execução da obra.

(Box)
Uma vida melhor

Na segunda-feira, Eliane Machado e seus cinco filhos deixarão a casa de madeira de três cômodos, condenada pela Defesa Civil, para entrar na sua nova moradia, no Jardim Boreal. A nova casa, de alvenaria, dois quartos, sala, cozinha e banheiro, é especialmente adaptada para sua filha cadeirante. O local, com ruas asfaltadas, também é muito mais seguro e adequado para toda a família. “Lutei tanto por isso e sempre acreditei que conseguiria uma casa boa, mas não pensava que receberia algo muito melhor do que esperava”, conta. (EB)