Bandas Lyra dos Campos e da 5ª Brigada fazem concerto em homenagem a maestro Paulino

Nesta segunda-feira (14), a Banda Escola Lyra dos Campos e a Banda da 5ª Brigada de Cavalaria apresentam um concerto em homenagem ao maestro tenente Paulino Martins Alves. O concerto acontece às 16 horas, na concha acústica da Praça Barão do Rio Branco, e faz parte da programação de encerramento da Semana da Cultura ‘Bruno e Maria Enei’. Nascido em 14 de maio de 1893, o tenente Paulino foi o primeiro maestro da Banda Lyra, a qual ajudou a fundar, em 1952, e foi o idealizador da Escola de Música de Ponta Grossa, atual Conservatório Dramático Musical Paulino Martins Alves. Antes disso, ao chegar em Ponta Grossa, em 1931, foi regente da Banda de Música do 13º Regimento de Infantaria.O concerto desta segunda-feira será aberto pela Banda Lyra dos Campos. Segundo o diretor da banda, Dorival de Arruda Moura Filho, a primeira meia hora da apresentação terá no repertório somente composições de autoria do maestro Paulino. Na seqüência, a Banda da 5ª Brigada fará o encerramento do concerto. Escolas públicas do município serão convidadas a assistir a apresentação. “É importante que todos conheçam e valorizem a história do maestro”, destaca Dorival. BIOGRAFIAO maestro Paulino criou bandas e orquestras em várias cidades do Paraná e Santa Catarina, incluindo a Orquestra Sinfônica de Ponta Grossa, e deixou um acervo de quase uma centena de músicas que hoje são executadas por todo o país e no exterior. Entre suas composições está a ‘Marcha Militar Ministro Eurico Gaspar Dutra’, que foi executada pela Banda dos Fuzileiros Navais, no Rio de Janeiro, durante a partida da Força Expedicionária Brasileira para a Itália.(box)BIOGRAFIA MAESTRO PAULINO* Dorival de Arruda Moura FilhoO maestro Paulino é natural de Palmeira. Órfão desde criança, passou a residir em Curitiba onde cursou a Escola Primária de Lindolfo Pombo e, mais tarde, a Escola da Maçonaria. Foi carregador de malas na estação ferroviária, vendedor de jornais, de revistas e mensageiro. Ainda adolescente, ingressou no 14º Regimento de Cavalaria em Curitiba, onde em 1908 aprendeu a tocar trombone, iniciando seus estudos musicais com o maestro Caetano Barleta, regente da Banda de Música daquele Regimento. Três meses depois de sua iniciação musical, foi promovido a músico de 3ª classe e transferido para o 6º Regimento de Infantaria, onde foi promovido a Músico de 2ª e 1ª classe sucessivamente. Posteriormente foi transferido para o 5º Regimento de Infantaria, em Ponta Grossa, onde se desligou do serviço militar em 1911.Em 21 de dezembro de 1912 casou-se com Emília da Costa com quem teve oito filhos: Railda, Izilda, Ismênia, Licéia, Célia, Maria José, Aliandino e Izabel. Seu desejo era que os filhos aprendessem violino, e para isso contratou um professor particular para ministrar aulas em sua casa. Entretanto, nenhum de seus filhos aprendeu música.Organizou, em 1913, na cidade de Irati, a Banda Musical Lyra Cosmopolita Iratiense; em 1914, em União de Vitória, a Orquestra Sinfônica Lyra de Porto União e a Banda de Música do Clube Apolo.Atendendo a convite do Coronel Joaquim Cavalcanti de Albuquerque Bello, retornou para o serviço ativo do Exército, sendo re-incluído no 5º Regimento de Infantaria em Ponta Grossa.Transferido para Florianópolis, aprovado em concurso para regente, foi promovido a 1º Sargento Mestre de Música, sendo em 1919, transferido para o 13º Batalhão de Caçadores em Joinville, onde serviu por 11 anos. Nesta cidade organizou e foi maestro da Orchestra Harmonie-Lyra.Em 1931 foi transferido para o 13º Regimento de Infantaria em Ponta Grossa, onde viria a se tornar regente da Banda de Música, sendo que em 1944, aos 33 anos de serviço, encerrou sua carreira militar.Em 1952 participou da fundação e foi o primeiro maestro da Banda Escola Lyra dos Campos, onde formou centenas de músicos, muitos deles maestros, que hoje se encontram em orquestras e grupos musicais de todo o país, principalmente dentro das corporações musicais da marinha, exército e aeronáutica. Compositor de alto nível, deixou um acervo de quase uma centena de músicas que hoje são executadas por todo o país e exterior.Entre suas composições, encontramos a magnífica ‘Marcha Militar Ministro Eurico Gaspar Dutra’, que foi executada pela Banda dos Fuzileiros Navais no Rio de Janeiro, quando da partida da Força Expedicionária Brasileira para a Itália.Em 1954 participou da fundação e foi o primeiro maestro da Orquestra Sinfônica de Ponta Grossa, a qual regeu juntamente com a Banda Escola Lyra dos Campos, até o seu falecimento em 7 de dezembro de 1973. O maestro Paulino deixou uma lacuna no meio musical e social de nossa cidade e nas demais cidades em que residiu e exerceu suas atividades.Sentindo a carência de músicos de instrumentos de cordas em nossa cidade, foi o idealizador da Escola de Música de Ponta Grossa, atual Conservatório Dramático Musical Paulino Martins Alves. Com todas as intensas atividades que pautaram sua vida, o Tenente Paulino foi ainda, além de pregador do amor à Pátria, um exemplo de esposo e de pai, de amigo, de justo. O seu amor à Pátria e o seu talento, caráter e honradez, e a sua competência em construir o mundo da música em nossa cidade, farão sempre o Maestro Tenente Paulino Martins Alves merecedor da nossa admiração, respeito e gratidão, que serão manifestadas através de justas homenagens. *Dorival de Arruda Moura Filho é diretor da Banda Escola Lyra dos Campos