Prefeitura realiza ações para conter retração nas vagas de emprego

Agência nos Bairros leva qualificação e formalização para comunidades de Ponta Grossa
     O Programa Agência nos Bairros esteve na última sexta-feira, 22, no Centro de Referência e Assistência Social (CRAS) do Jardim Paraíso. Esse é o terceiro bairro que o programa visita para levar serviços de formalização e qualificação para a comunidade. O programa começou esse ano e faz parte do plano do Governo Municipal para aumentar a empregabilidade na cidade, diminuindo o tempo e o custo de percurso dos cidadãos até a Agência do Trabalhador.
     Durante a tarde, os moradores da região puderam assistir à palestra sobre elaboração de currículo e entrevista de emprego. Foram feitos 89 atendimentos e 56 encaminhamentos. A representante da Sala do Empreendedor atendeu ainda 27 interessados, além da participação de 35 pessoas na palestra.
     Loiri de Lara é morador do Jardim Paraíso e atualmente está desempregado. Porém, conseguiu se inscrever para uma vaga de emprego durante o atendimento da Agência nos Bairros, próximo à sua casa. “Perto da vila fica mais fácil da gente buscar um serviço porque não tem o custo de ir até o Centro”, destaca o morador.
     A psicóloga e coordenadora do CRAS Paraíso, Kelly Soczeck, explica que a aproximação dos serviços da Agência do Trabalhador dos moradores atende a políticas públicas de trabalho que facilitam a garantia de direitos. “O emprego está diretamente relacionado com a questão de auto estima já que garante a autonomia das famílias”.
RETRAÇÃO NACIONAL
     Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, em Ponta Grossa o índice de retração das vagas de emprego em 2015 foi de 2,46%, abaixo da média nacional e estadual. No Brasil, o nível de empregos registrou uma queda de 3,74% em relação ao ano anterior, enquanto no Paraná a queda foi de 2,78%. Já em Curitiba a diminuição chegou a 4,35% (a capital perdeu quase 32 mil vagas). Outras cidades do mesmo porte que Ponta Grossa também tiveram cortes significativos neste ano: Maringá perdeu 3.172 vagas de emprego, enquanto em Londrina o corte foi de 2.900 postos.
     Em 2015, das 6.496 vagas captadas em Ponta Grossa foram encaminhados para entrevistas 33.364 candidatos, gerando emprego para 2.588 pessoas. Somente em 2016 a agência já gerou 362 vagas de emprego e atualmente está com 72 vagas em aberto.
PLANO DE AÇÃO
     Segundo o Gerente da Agência do Trabalhador de Ponta Grossa, Rudolf Christensen, o Programa Agência nos Bairros está sendo elaborado desde outubro do ano passado e é uma maneira de tentar minimizar os efeitos do desemprego gerados com a crise em todo o país. “A crise faz com que só fique empregado quem tem mais qualificação, quem não tiver vai ser dispensado. Nós entendemos que a principal solução para a crise é a qualificação, junto com a inovação e os negócios individuais, como a micro e pequena empresa. Estas ações também são levadas para próximo da população com o programa”, conta Rudolf.
     O Departamento de Qualificação Profissional da Prefeitura foi responsável por formar 6.214 pessoas em 2015 em diversos cursos gratuitos, tanto na área de qualificação quanto cursos profissionalizantes. Segundo o Secretário da pasta de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, Paulo Carbonar, “estes cursos são fundamentais para a maior inserção de profissionais qualificados no mercado de trabalho”.
     Ao todo foram ministradas 2530 horas aula gratuitamente para a população. Os cursos oferecidos pela Prefeitura Municipal de Ponta Grossa são viabilizados por meio de parcerias e contratações. A secretaria ainda identificou os ramos de maior demanda no setor comercial e industrial na cidade para eleger os temas dos cursos.