PG investe quase R$ 100 mil em inovação tecnológica

Por Millena Sartori
 
Na manhã desta sexta-feira (28) a Prefeitura Municipal assinou contrato com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para fomentar o progresso da cidade. Trata-se de uma prestação de serviços de consultoria para realização de mapeamento do ecossistema de inovação de Ponta Grossa, englobando identificação de setores estratégicos e criação de um plano de ação para desenvolvimento local das micro e pequenas empresas.
Serão investidos R$ 95 mil no projeto. Para o Secretário Municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, Paulo Carbonar, esta parceria deverá ser um norte para o futuro da inovação, e permite uma pesquisa plural. “Estruturar este ecossistema ponta-grossense deverá ser um esforço conjunto entre o governo municipal e o Sebrae, e todos que possam contribuir para o projeto, como as nossas universidades”, afirma Carbonar.
O gerente regional do Sebrae, Joel Franzim Jr., também aposta na participação coletiva. “Não podemos deixar de olhar para o setor do conhecimento. Temos várias faculdades com ações voltadas para a inovação”, explica Franzim, que destaca que Ponta Grossa tem avançado no setor e no reconhecimento do micro e pequeno empresário. “Cada vez que viemos aqui parece que estamos vendo o desenvolvimento acontecer. São iniciativas como essa que nos possibilitam direcionar o trabalho para a inovação”, analisa o gerente regional.
Também estiveram presentes na reunião representantes de universidades públicas e faculdades particulares e executivos do setor, como o delegado seccional de Ponta Grossa do Conselho Regional de Administração do Paraná (CRA-PR), Sergio Kitkun, e a gerente executiva do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Luciane Oliveira. Representando o governo municipal estavam secretários municipais, prefeito Marcelo Rangel, vice-prefeita Elizabeth Schimidt e a coordenadora de Fomento, Empreendedorismo e Inovação, Tônia Mansani.
Na ocasião, Rangel contou que em visita recente à Brasília, no 5º Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável (EMDS), os números apresentados por Ponta Grossa chamaram a atenção de outras cidades. “Vimos os gráficos de investimento no Micro Empreendedor Individual se destacar, graças a projetos como a Sala do Empreendedor. Outros prefeitos também elogiaram nosso 7º lugar nacional em Saneamento Básico e nosso saldo positivo no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), por exemplo”, conta o prefeito.
 
Entenda o projeto
Para categorizar o ecossistema de inovação de Ponta Grossa, o projeto assinado nesta sexta-feira (28) foi dividido em três etapas. Confira:

Etapa 1 - Diagnóstico
Mapeamento das ICTIs, incubadoras de empresas, centors de inovação, parque tecnológico, pesquisadores públicos e independentes, sistema municipal de C.T&I e Política Municipal de Inovação que compõe o ecossistema de PG. Será realizada uma análise das vocações locais e as potencialidades da região em termos de pesquisas científicas e tecnológicas, para identificar quais os setores estratégicos portadores de futuros e quem são os atores chaves que podem apoiar esse fortalecimento.
 
Etapa 2 – Planejamento
A partir da definição dos setores estratégicos será elaborada uma análise do radar de inovação para cada setor, composto por fatores como capital humano, cultura empreendedora, políticas públicas de apoio à inovação e empreendedorismo, existência de empreendimentos inovadores, clusters, governanças e Instituições de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICTI).
 
Etapa 3 – Plano de Ação
Estratégias de curto, médio e longo prazo para cada vertente e setor estratégico definido anteriormente. Será construído detalhamento das ações do plano operacional, em conjunto com os atores locais, para fomentar o desenvolvimento do ecossistema de inovação de Ponta Grossa.