Ponta Grossa sediará Festival Paranaense de Taiko

Evento será realizado no Parque Ambiental e deve reunir mais de 20 grupos
 
     Nos dias 12 e 13 de outubro, Ponta Grossa será ocupada pelo som dos milenares tambores japoneses. Pela segunda vez, a cidade será a sede do Festival Paranaense de Taiko, que este ano chega à sua 16ª edição. A organização do evento será conjunta entre a Prefeitura de Ponta Grossa, por meio da Fundação Municipal de Cultura, e o Grupo Fuurinkazan, e deve acontecer no Parque Ambiental, aberto ao público.
     A expectativa é receber cerca de 700 pessoas de fora da cidade, entre tocadores e suas famílias. “Estamos esperando a participação de mais de 20 grupos. Além dos paranaenses, já temos confirmações de São Paulo e Santa Catarina também. Todos querem voltar à Ponta Grossa porque se sentiram muito bem acolhidos em 2012, na primeira vez que fizemos o festival aqui”, explica Fernando Shigueo Horie, diretor-artístico do evento e coordenador do Grupo Fuurinkazan. Serão dois dias intensos de atividades no Parque Ambiental, sendo que o ponto alto será quando todos os instrumentistas tocarão ao mesmo tempo.
     Uma reunião que aconteceu esta semana entre a equipe técnica da Fundação Municipal de Cultura e a coordenação do Grupo Fuurinkazan definiu como será a parceria e outros detalhes do evento. “Além da parte artística, nossa ideia é que o evento chame atenção também pelo seu entorno, que terá uma feira de gastronomia oriental, uma grande e acolhedora estrutura e uma ambientação diferenciada. Queremos colocar o XVI Festival Paranaense de Taiko no calendário dos grandes eventos culturais de Ponta Grossa”, conta o presidente da Fundação de Cultura, Fernando Durante.
     Os grupos de taiko são formados, em sua maioria, por descendentes de japoneses que desejam manter viva sua cultura. Atualmente são mais de 100 grupos de taiko em atividade no Brasil, sendo 17 no Paraná. Ponta Grossa conta com um numeroso grupo de descendentes de japoneses, com cerca de 330 famílias que se esforçam para preservar as tradições nipônicas e repassá-la aos seus descendentes. A batida dos tambores conserva ainda hoje o mesmo espírito do passado: a unidade do grupo. O ritmo forte resgata a cultura dos samurais e reúne diferentes gerações na cadência de uma mesma batida.
 
Lei Rouanet
     O evento será uma grande vitrine para empresas que queiram aliar suas marcas a uma importante ação cultural, oferecendo uma ampla visibilidade. Para estar junto ao XVI Festival Paranaense de Taiko, empresários podem optar por duas formas de incentivo: patrocínio direto ou por meio de renúncia fiscal. O projeto já está aprovado pela Lei Rouanet e apto a captar. Além da visibilidade da marca, são oferecidas ainda outras contrapartidas aos patrocinadores. Para mais informações, basta entrar em contato com o Departamento de Captação de Recursos da Fundação Municipal de Cultura pelo telefone (42) 3901-1592.