Restauro da Maria Fumaça resgata raiz ferroviária de PG

Por Mariana Galvão Noronha
 
União de esforços entre Prefeitura,  Exército e empresas resultou no reparo da Locomotiva 250, que teve sua imponência recuperada no centro da cidade
 
Trilhos de ferro fizeram parte da paisagem na região central até meados da década de 80. Desde então, são as edificações das duas estações de passageiros da cidade e a Locomotiva 250, popularmente conhecida como Maria Fumaça, são os pontos que mantém viva a memória do passado ferroviário de Ponta Grossa. Em comemoração aos 196 anos da cidade, a Prefeitura entregou hoje (13) a Locomotiva 250 totalmente restaurada, numa ação conjunta com o Exército Brasileiro e empresas parceiras.
 
“É um grande orgulho marcar a data de hoje com a entrega da nossa Maria Fumaça, símbolo do desenvolvimento de Ponta Grossa, totalmente restaurada. Essa parceria permitiu que a locomotiva fosse restaurada por uma equipe com expertise, resgatando a história e cultura da nossa cidade, que tem raiz no movimento ferroviário. O nosso agradecimento ao Exército brasileiro, que cedeu mão de obra especializada para esse reparo, e as empresas parceiras que doaram os materiais necessários, é em nome de toda a população de Ponta Grossa. Este presente pelos 196 anos da cidade só está sendo possível pela união de esforços desses parceiros”, celebra o prefeito, Marcelo Rangel.

A locomotiva faz parte do acervo da Casa da Memória e está instalada na antiga plataforma de embarque e desembarque de passageiros da então “Estação Paraná”, e depois Rede Ferroviária Federal. O reparo estético na estrutura foi realizado por uma equipe de 30 pessoas, durante cerca de 45 dias. Os sargentos Josnei Carlos Ferreira Vaz e Diego Fagundes de Oliveira foram os restauradores responsáveis pelo projeto de recuperação da locomotiva.

“Nós apoiamos a cidade em que vivemos, participando de diversas ações, como campanha de agasalho, coleta de recicláveis e no balizamento de corridas. Apoiamos as ações da cidade porque é nossa missão institucional e o restauro da Maria Fumaça é mais uma maneira de apoiarmos a nossa população, que agora deve colaborar com a preservação desse item histórico. O Exército brasileiro sempre será mão amiga de Ponta Grossa”, destaca o general Márcio de Souza Nunes Ribeiro, comandante da 5ª Brigada de Cavalaria Blindada.

A força tarefa para restauro da Maria Fumaça foi coordenada pela Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos, contando com o apoio da Afepon, Secretaria de Meio Ambiente, Secretaria de Serviços Públicos e Fundação Municipal de Cultura na estruturação do monumento, com ações como paisagismo e iluminação na área. Os materiais foram todos doados pelas empresas parceiras Bmaq Máquinas e Ferramentas, Tintas Darka, Base Forte Materiais de Acabamento, Ecoline Produtos e Serviços Florestais e Conceito Imóveis.

A rede ferroviária representou um marco no desenvolvimento da região, fortalecendo a posição de Ponta Grossa como um entroncamento econômico regional. Desde a instalação das estações de passageiros e a rede ferroviária na cidade, os trens fizeram parte da história da cidade e da história de muitos ponta-grossenses, funcionários da antiga Rede Ferroviária Federal S.A. (RFFSA).

“Há alguns anos, todo mundo tinha algum vínculo com a ferrovia: um parente que trabalhava na rede ou um conhecido que comercializava nas estações ou no pátio central. Mas a população foi perdendo esse vínculo com o passar dos anos e esse reparo, com certeza, vai ajudar a resgatar essa raiz ferroviária da cidade, motivando os ponta-grossenses a divulgar sua própria história e preservar uma peça única como essa. A Locomotiva 250 é um símbolo não apenas de Ponta Grossa, mas de toda a rede, tendo sido quase completamente fabricada na cidade. É uma das poucas que existe nesse formato, merecendo ser valorizada e preservada”, aponta o representante da Regional Paraná da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF), João Luís Teixeira.

Além da Maria Fumaça instalada junto à Casa da Memória, antiga Estação Paraná, em breve a cidade também receberá a nova edificação da Estação Saudade, construída em 1900 como Estação São Paulo-Rio Grande, atendendo a demanda de movimentação de trens de carga e de passageiros. A revitalização do local está em andamento e deve ser concluída até o final desse ano.

A cerimônia de entrega da Maria Fumaça contou com a execução do hino de Ponta Grossa pela banda do Exército e coral da Escola Municipal Humberto Cordeiro. Estiveram presentes ainda a vice-prefeita Elizabeth Schmidt, secretariado municipal, o presidente da Câmara, Daniel Milla, representantes do poder legislativo e demais autoridades.