Secretaria de Educação prepara volta às aulas

Depois da readequação do calendário escolar, garantindo 200 dias letivos para todos os alunos da rede municipal, e também dos quadros de pessoal e da escala de turmas, para cumprir os termos da decisão judicial que estabeleceu o ingresso de crianças com seis anos incompletos no ensino fundamental, chegou a vez do pessoal da linha-de-frente. A secretária de Educação, Zélia Marochi, programou para esta semana o retorno de diretores, pedagogos, escriturários e serventes das escolas e Centros Municipais de Educação Infantil, para organizar e fazer o planejamento das ações iniciais do ano letivo. Os professores, no entanto, voltam nesta quinta-feira, recebendo então as orientações transmitidas pela direção de cada unidade escolar, para o reinício das aulas, que acontece na segunda-feira, dia 9.Dentro do programa de preparação para a volta às aulas, a assessora de Gestão Educacional, Teresa Jussara Luporini, e também as coordenadoras Marislei Zaremba Martins, Elizabeth Regina de Farias, Eliane Maria Schwab e Alcinéia Isabel Maciel de Mattos, coordenaram nesta segunda-feira de reunião preparatória com todas as diretoras de escolas e CMEIS.A secretária de Educação reforça o alerta para os pais: a decisão judicial que prevê o ingresso de crianças que completem seis anos até o final de dezembro de 2009 não abre uma faculdade, mas impõe uma determinação. Todas as crianças nessa faixa etária devem ser matriculadas na primeira série do ensino fundamental. “Organizamos toda nossa estrutura para atender a essa demanda”, garante Zélia.Pais que ainda têm alguma dúvida a respeito do início do ano letivo, sobre turmas ou acesso podem procurar a escola mais perto de sua casa a partir desta terça-feira (3). REITERAEm carta dirigida a todas as diretoras, a secretária Zélia reiterou que a meta primordial da Secretaria, nos últimos quatro anos, foi “colocar todos os seus Departamentos e Seções a serviço da elevação da escolaridade e da melhoria da qualidade da educação oferecida à população ponta-grossense”.A partir do desenvolvimento das ações voltadas para esse objetivo, “construímos uma verdadeira política educacional, visando uma continuidade que não se fundamenta em pessoas, mas se organiza com a contribuição de muitos e se projeta em direção ao futuro, porque cria uma cultura de trabalho que ultrapassa governos”.Zélia, na carta também menciona o reconhecimento de órgãos governamentais e instituições do porte do Instituto Ayrton Senna, “que avalizam a política educacional adotada e desenvolvida que foi constituída a muitas e valorosas mãos”. Por isso, prossegue a secretária, “agradeço e reitero o pedido inicial: que no espaço da escola pública, nos espaços da educação infantil pública, com rigor e zelo pelo trabalho público que desenvolvemos, continuemos a investir, cada vez mais, num clima educacional propício que se direciona não apenas à aprendizagem de conteúdos necessários mas, e também, à formação e interação de pessoas íntegras e responsáveis por si mesmas e pela comunidade à sua volta”.